Ghost of Tsushima 20210816212735 scaled e1629453566953

Ghost of Tsushima: Iki Island – Análise

O regresso a um sítio onde somos felizes

svg%3E
Release Date
20 Agosto, 2021
ESTÚDIO
Sucker Punch
GÉNERO
Acção em mundo aberto
PLATAFORMAS
PS4 e PS5

Iki Island é a primeira expansão single player a chegar a Ghost of Tsushima. Esta expansão oferece-nos muito do que celebrizou o jogo original, com uma nova ilha para explorar com bastantes atividades. Apesar oferecer pouco de novo relativamente ao título original, é extremamente agradável voltar a um sítio onde fomos felizes.

Passado pouco mais de um ano, e depois de alguns updates como a introdução do new game + e do modo online Legends, Iki Island é a primeira expansão que desenvolve a narrativa de Jin, continuando o combate contra a invasão Mongol.

A história da expansão é independente da narrativa principal. Embora ligadas não existe uma relação direta e é possível iniciar as aventuras de Iki Island a partir do segundo ato da história principal, embora seja aconselhável fazê-lo já depois de terminar a história principal visto ser possível levar todos o desenvolvimento que o personagem teve no decorrer do jogo.

História

Esta expansão começa quando, ainda em Tsushima, Jin é confrontado com um ataque Mongol que deixou os locais à beira da loucura através de um suposto veneno. Jin consegue descobrir que exista uma nova ameaça Mongol liderada por Eagle, e cujos planos passam por invadir Tsushima.

Apercebendo-se do perigo que isso representa, Jin decide viajar rumo a Iki Island para acabar com a amaça que surge.

svg%3E

Iki Island é um sítio muito especial para Jin, visto ser o local onde o seu pai foi assassinado à sua frente. Esse evento irá perseguir Jin durante toda a sua estadia na ilha, traduzindo-se em vários flashbacks jogáveis que recordam episódios que aconteceram em localizações específicas.

Estes flashbacks ajudam a compreender um pouco da relação que Jin tinha com o seu pai e o sentimento de culpa que se sente por nada ter feito durante o seu assassinato.

Iki Island

svg%3E

A ilha de Iki é habitada maioritariamente por bandidos que tem um ódio e desprezo aos Samurais, em particular ao clã Sakai.

Com dimensão semelhante à área referente a um ato do título original, além da história principal da perseguição a Eagle, existem algumas missões secundárias e diversas atividades.

Existem muitas atividades idênticas ao título original como os haiku, santuários de animais que não se resumem apenas a raposas e onde foram acrescentadas novos animais, campos Mongol com muitos inimigos para eliminar, as saúnas que aumentam a nossa barra de vitalidade entre outras.

Apesar de tudo foram acrescentas novas atividades como competições de tiro ao alvo, e podemos tocar flauta para ganhar confiança com determinados animais. Trata-se de uma mecânica que se assemelha um pouco ao clássico guitar hero e onde movemos o comando para cima ou para baixo para nos mantermos no tom da música.

Combate

Um dos grandes destaques de Ghost of Tsushima é o seu combate. Na expansão Iki Island o combate não teve alterações, mantendo-se desafiante e extremamente satisfatório.

svg%3E

Foram entretanto acrescentados novos inimigos, com enfâse para os soldados que mudam o seu estilo durante o combate onde por exemplo começam com um escudo e uma espada, mas que trocam para duas espadas no decorrer das batalhas. Para melhor eliminarmos estes inimigos é necessário adaptar os stences.

Outra das novidades foi a introdução de inimigos que através das suas músicas de guerra, conseguem regenerar os companheiros da batalha, tornando os ataques deles mais fortes.

Estas duas novas adições acabam por introduzir uma componente mais tática durante o combate. No entanto, e tendo em conta todas os modos que existem no modo online Legends era expectável haver mais novidades.

Apesar de Jin não ter novas habilidades, o mesmo não pode ser dito ao seu cavalo que conta agora com a habilidade de atropelar inimigos.

Longevidade

Iki Island tem uma duração razoável, e com bastantes atividades para fazer. No entanto se nos focarmos apenas na história principal, devemos acabar o jogo em cerca de 4-5 horas. Se adicionarmos as missões secundárias e as atividades o jogo deverá ter a duração de 10-12 horas.

svg%3E

Existem várias cut-scenes durante todo o jogo que se deverão ter em conta visto não ser possível fazer skip ou mesmo acelerar os diálogos.

Upgrades Playstation 5

A expansão Iki Island conta também com upgrades na versão original de Ghost of Tsushima para os detentores de uma Playstation 5.

Uma das grandes novidades é a introdução da sincronia labial quando selecionamos linguagem japonesa. Como Ghost of Tsushima pede para ser jogado na sua língua nativa, a falta de sincronia entre o que víamos e o que ouvíamos foi um dos pontos que a comunidade mais pediu para ser resolvido. A Sucker Punch atenta a esse feedback adicionou essa capacidade.

svg%3E

Além disso esta nova versão conta com uma resolução dinâmica 4K a correr a 60fps, a utilização do haptic feedback do comando Dualsense e utilização do audio 3D.

Uma das agradáveis surpresas foi a facilidade de importação dos save games da PS4. Basta fazer o download do save game da cloud para a consola e converter o save game de PS4 para PS5 através de uma opção do menu principal.

Todos os jogadores que já tiverem Ghost of Tsushima podem adquirir o conteúdo de Ghost of Tsushima: Director’s Cut por 19,99€ para a PlayStation 4 e por 29,99€ para a PlayStation 5 (à data no entanto ainda não conseguimos ainda visualizar a opção exclusiva para a Playstation 5).

Para aqueles que ainda não têm o jogo esta nova Edição está disponível por um PVP estimado de 79,99€ para a PlayStation 5 e de 69,99€ para a PlayStation 4.

svg%3E
Ghost of Tsushima: Iki Island
Positivo
Ilha com bastantes atividades e missões
Qualidade gráfica ainda mais incrível
O mundo envolvente de Ghost of Tsushima
A melhorar
Ausência da possibilidade de fazer skip às cut-scenes
A duração da história principal podia ser maior
8